Monthly Archives

One Article

Tudo Sobre Saúde

Causas e Fatores de Riscos da Diabetes

Posted by Marlone Souza on

Diabetes é uma doença causada por excesso de açúcar no sangue. Existem dois tipos principais de diabetes: diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2. Existem outros tipos, como diabetes gestacional e diabetes secundário a outras doenças.

No caso do diabetes tipo 1, o pâncreas não produz insulina, logo a sintomatologia começa a manifestar-se precocemente, em crianças ou adolescentes, o que torna necessário a substituição desse hormônio por toda a vida.

No diabetes tipo 2, o pâncreas produz insulina, mas em quantidade insuficiente ou não funciona adequadamente, de modo que as células não reagem adequadamente. O diabetes tipo 2 é, de longe, o mais frequente (cerca de 90% dos casos) e é o mais suscetível às ações de prevenção. Idade avançada, obesidade, presença de história familiar de diabetes, sedentarismo, intolerância à glicose, hipertensão arterial e hiperlipidemia são fatores de risco associados ao desenvolvimento dessa doença.

A maioria dos casos de diabetes mellitus tipo 2 ocorre acompanhada por uma Síndrome Metabólica (na qual diabetes, hipertensão, aumento dos níveis de colesterol, triglicérides e / ou ácido úrico e excesso de peso estão associados ). A síndrome metabólica aumenta o risco cardiovascular e é uma causa fundamental de morte nos países desenvolvidos.

A diabetes é uma doença crônica que, sem controle adequado, apresenta alta morbimortalidade, boa parte precoce, o que acarreta alto custo social e elevado impacto na saúde, devido ao desenvolvimento de complicações que acarretam perda de qualidade.

A partir da expectativa de vida dos pacientes diabéticos, foi fabricado o glicozol que é um suplemento natural que ajuda no controle total do diabetes, por isso já tem milhares de pessoas no brasil usando o glicozol, mas antes é sempre recomendado consulta seu médico se você pode usar.

Diabetes está associado principalmente com dois grupos de complicações: alguns são as que afetam os vasos sanguíneos de pequeno tamanho (complicações microvasculares crônicas) das terminações nervosas ocular (retinopatia) (neuropatia), rins (nefropatia) e são mais determinado pelo grau de controlo glicêmico, enquanto que o desenvolvimento de lesões em grandes vasos (macrovasculares), que afetam o coração (doença cardíaca isquêmica), para as extremidades inferiores (a claudicação intermitente) e produzir doenças cerebrovasculares.

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas (glândula localizada atrás do estômago) para controlar os níveis de açúcar no sangue. A insulina contribui para as células, a glicose circulante, proveniente da comida, para que posteriormente seja transformada em energia.

Se a insulina não faz bem essa função, a glicose se acumula no sangue (hiperglicemia), mas como não pode ser usada pelas células, elas enviam sinais de falta de energia (falta de glicose).

Causas e fatores de risco da diabetes

A diabetes mellitus tipo 1 é uma doença autoimune. O sistema imunológico cuja função principal é nos defender das infecções pode ser confundido e reconhecer como um tecido estranho nosso e destruí-lo. No caso de diabetes mellitus tipo 1, as células produtoras de insulina são atacadas e destruídas, de modo que o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas não pode ser corretamente realizado.

O ataque deste ataque auto-imune é causado por uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Entre os fatores ambientais, os vírus parecem ser os candidatos mais prováveis. Até o momento, não foram identificadas causas específicas que possam desencadear essa doença em pessoas que devem ter uma suscetibilidade geneticamente condicionada.

O diabetes tipo 2 é uma doença que está relacionada a vários fatores hereditários e relacionados ao estilo de vida (obesidade, inatividade física, estresse), e algumas doenças podem atuar como gatilhos. Portanto, a nutrição saudável, o controle do excesso de peso, a ausência de tabaco e o aumento da atividade física regular são a melhor maneira de prevenir o diabetes e evitar complicações.

As ações de prevenção secundária (detecção precoce da doença) também são indicadas, através da medição do nível de glicose no sangue, principalmente em pessoas com fatores de risco; e as atividades de prevenção terciária, que permitem melhorar a qualidade de vida do diabético, através de seu envolvimento no autocuidado e controle de sua própria doença, uma vez que já está em vigor, com ênfase especial nas atividades de educação em saúde em aspectos como dieta, cuidados com os pés, atividade física, administração de insulina, etc.